Presidente da AMI participa de Audiência Pública na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG)

Jornalista Wilson Miranda, Presidente da AMI, na ALEMG

Jornalista Wilson Miranda, Presidente da AMI, na ALEMG

 

BELO HORIZONTE [ ABN NEWS ] – O presidente da Associação Mineira de Imprensa, jornalista Wilson Miranda, participou da audiência pública da Comissão de Transporte, Comunicação e Obras Públicas da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) que avaliaram, nesta quarta-feira (02/10/13), a obrigatoriedade da manutenção do horário diário de exibição (19 horas) do programa de rádio A Voz do Brasil.
O Projeto de Lei (PL) 595/03, em tramitação no Congresso Nacional, prevê a sua veiculação em outras quatro faixas de horário. A reunião foi solicitada pelo deputado Adelmo Carneiro Leão (PT).

O presidente da Associação Mineira de Rádio e Televisão (Amirt), Agostinho de Rezende Campos destacou que o Projeto de Lei Federal 595/03, tem sido compreendido de forma equivocada. Campos enfatizou que a posição das empresas de comunicação não é contrária à continuidade do programa A Voz do Brasil. “O que se busca apenas é a flexibilização do horário em situações específicas”, esclareceu.

 

Agostinho de Rezende Campos, Presidente da Associação Mineira de Rádio e Televisão - Amirt

Agostinho de Rezende Campos, Presidente da Associação Mineira de Rádio e Televisão – Amirt

 

Segundo o representante da Amirt, o projeto propõe outras quatro faixas de horários para exibir o programa. De acordo com a proposição, esse período seria compreendido entre 19h30 e 00h30. Campos explicou que a medida vai ao encontro dos interesses do cidadão, que “poderá escolher ouvir o que quer na hora em que quiser”. Ele ponderou que, se determinada emissora está localizada em um grande centro, como a capital paulista, às 19 horas, em vez de ouvir A Voz do Brasil, ele poderia ter acesso a informações sobre o trânsito, por exemplo.

Agostinho Campos ainda lembrou que algumas emissoras já obtiveram liminares (decisões provisórias do Poder Judiciário) que as desobrigam de exibir o programa no horário determinado. Ele exemplificou a situação com o caso da Rádio Itatiaia, que teria permissão de transmitir jogos de futebol no horário.

Participaram também da audiência, o presidente da TV Comunitária de Belo Horizonte, Edivaldo Amorim Farias, o membro da Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil em Minas Gerais (OAB-MG), Wagner Dias Ferreira, e a vereadora Fátima Salume, de Campo Belo (Centro-Oeste do Estado) e o vice-presidente da comissão, deputado Celinho do Sinttrocel (PCdoB).

 

Sessão de Audiência Pública na ALEMG

Sessão de Audiência Pública na ALEMG avalia horários flexíveis para o programa A Voz do Brasil